Artigos (8)

SOBRE A SEPARAÇÃO E DIVÓRCIO. Publicado a 04/11/2018 No seu livro “Tu és um de Nós – Compreensões e Soluções Sistémicas para Professores, Alunos e Pais”* Marianne Franke-Gricksch demonstra como pode transferir as bases do pensamento de Bert Hellinger para o âmbito escolar, levando os alunos a experimentar as ordens dentro da sua família e a encontrar o melhor posicionamento dentro do sistema. As crianças que puderam experienciar os efeitos das ordens demonstraram-se mais disponíveis para a aprendizagem e para se integrarem no sistema escolar, bem como um maior respeito pela família e condição de vida dos seus colegas. O excerto que aqui se apresenta constitui uma reflexão que a autora faz no seu livro sobre a separação entre os casais. EXISTE UMA CULTURA DA SEPARAÇÃO Até agora estive com turmas onde havia cada vez mais crianças cujos pais viviam separados ou que se tinham divorciado. Era muito evidente para mim o quanto algumas crianças tentavam dissimular esta situação. Parece-me que quando o pai já não vive com a família, o sofrimento é incrementado pelo estigma social que se vem aderir à família “incompleta”. Por lealdade com os seus pais, as crianças não falam do assunto e, desse modo, a separação…
O CAMPO MÓRFICOO CAMPO MÓRFICO Por Ursula Franke* No contexto da nossa socialização aprendemos que tudo aquilo que acontece dentro do nosso corpo e da nossa psique deve ser atribuído ao nosso “Eu” e, consequentemente, somos disso responsáveis. Aprendemos que os nossos sentimentos, actos e pensamentos surgem de nós e é em nós também que eles ganham sentido. Contudo, o pensamento em acção nos contextos sistémicos e as experiências que fazemos no decurso das constelações sugerem que só parcialmente isso é verdade. Nesse sentido, o trabalho de Bert Hellinger revolucionou o conceito de indivíduo. Os “vínculos invisíveis” de uma família ou de um sistema tornam-se visíveis através de uma constelação. Os representantes e os pacientes experimentam fisicamente o modo como o indivíduo está inserido no seu contexto e como a presença e a proximidade de um elemento actua sobre cada um dos outros elementos que estão dentro do sistema. Se, por exemplo, numa constelação a filha está parada em frente ao pai, experimenta um estado físico e psíquico que é possível de ser descrito com precisão, o qual se altera por apenas se incorporar outra pessoa, por exemplo a mãe ou o pai do pai.   Podemos imaginar que o…
Constelação pacifica conflitos de família no Judiciário. Mais do que isso, permite que o conflito seja devolvido aos seus donos, para que eles próprios possam entendê-lo e buscar a pacificação. A técnica psicoterapêutica criada pelo alemão Bert Hellinger, usada no Poder Judiciário de pelo menos 16 estados, mostra-se eficaz quando o assunto é disputa de guarda de crianças, alienação parental, inventários e pensão alimentícia. Para os juízes, que têm se capacitado para aplicá-la, permite que a Justiça ofereça outras soluções ao litígio que não somente a sentença. Mais do que isso, permite que o conflito seja devolvido aos seus donos, para que eles próprios possam entendê-lo e buscar a pacificação.“Uma Justiça que preza pelo humanismo”: é assim que o juiz Yulli Roter, da Vara Cível de Família e Sucessões da comarca de União dos Palmares, que fica a cerca de uma hora e meia de Maceió, define o uso da Constelação familiar no Poder Judiciário. O juiz começou a aplicar a Constelação familiar em 2014, em um caso grave de ato infracional cometido por um adolescente: um estupro de uma criança de quatro anos. No decorrer do processo, foi revelado que o adolescente que cometeu o ato de abuso também havia…
Constelações com figures e o trabalho na Alma Em constelações de grupo, aqueles que são posicionados na constelação estão ressonando a alma do sistema. Figuras não podem fazer isso. Elas permanecem como objetos representativos que funcionam para o olho da mente. Você não precisa pedir às figuras que saiam de seus papéis ao final da constelação.
Constelações Sistémicas FamiliaresTrata-se de uma abordagem fenomenológica terapêutica fundamentada nas descobertas do alemão Bert Hellinger, nascido em 1925, na Alemanha, e formou-se em Teologia, Pedagogia e Filosofia. Como membro de uma ordem de missionários católicos, estudou e trabalhou durante 16 anos na África do sul em contato com a cultura Zulu, também dirigindo várias escolas de nível superior. Posteriormente deixou esta ordem e aprofundou seus estudos e pesquisas tornando-se psicanalista e, por meio da dinâmica de Grupos, da Terapia Primal, de diversos métodos como Hipno terapia clínica e Análise Transacional, Psicodrama e demais técnicas, desenvolveu sua própria Terapia Sistêmica e Familiar a qual denominou: Familienstellens (respectivamente: “Colocação do Familiar”, traduzido para: Constelações Familiares, em Português).
Eu fui submetida à psicanalise durante mais de 12 anos. Tornei-me psicanalista, também. Em uma constelação apenas fui tomada de surpresa. Em 10 minutos minha questão toda foi exposta de um jeito que nunca havia percebido em 12 anos de Análise.
Breve introdução aos fundamentos das Constelações Familiares 1 O método das Constelações Familiares se fundamenta sobre a observação e a experiência em relação aos grupos sistêmicos, apresentando-se como uma abordagem fenomenológica.Utilizada desde séculos anteriores no âmbito das sociedades primitivas e tradicionais, esta abordagem foi essencialmente desenvolvida com este nome de Constelações familiares e divulgada ao público ocidental por Bert Hellinger, professor, filosofo, teólogo, terapeuta e psicólogo, alemão nascido em 1925.